Clube To Beer

Year: 2015

- por em Cerveja, Dicas 0

Harmonize Agora

Experimentar e desfrutar de uma cerveja, por si só, já bastaria para apreciarmos sabores variados dentro de uma mesma receita. Porém, harmonizar as cervejas com outros alimentos não só enriquece a experiência, mas acima de tudo potencializa os sabores tanto do nosso “pão líquido” como das comidas associadas quando a harmonização é feita por semelhança.

Pode parecer até complicado harmonizar cerveja com alimentos, mas se tivermos em mente que, ao contrário de harmonizações com vinho, no caso da cerveja tudo é mais simples e a procura ideal deva ser por usar intensidades semelhantes, que ficará fácil e prático esse entendimento.

Um exemplo simples é com os queijos. Harmonizar cerveja e queijo é mais fácil do que harmonizar queijo e vinho. Simplesmente porque a ideia central é: quanto mais intenso o sabor do queijo, mais intenso deve ser o sabor da cerveja. Quanto mais leve o queijo melhor ele fica quando degustada com uma cerveja igualmente leve. Dessa forma, todo o complexo bucal responsável por sentir o sabor dará realce aos alimentos de forma simultânea e não acarretará em neutralizar o sabor de algo em detrimento de outro.

Mesa_com_LeffeHá já quem diga que a cerveja roubou o posto de melhor acompanhante do queijo em relação ao vinho. No meu modo de ver, no país tropical que vivemos e das mais variadas condições climáticas que temos espalhadas Brasil afora, só em podermos desfrutar de diversos tipos de cerveja com queijos para cada estação do ano e não ficar restrito ao inverno, já concede à cerveja uma grande vantagem.

O mesmo serve para o chocolate e sobremesas doces. Esses alimentos convidam para cervejas com sabores doces, com aroma e sabor de café, chocolate e frutas.

Ou seja, para harmonização das cervejas com outros alimentos vale a tática: quanto mais simples, melhor. Ou o menos é mais. Mesmo assim, a cerveja é tão rica que podemos ainda harmonizá-la com alimentos por contraste.

Porém o mais importante de tudo é sempre harmonizar com os amigos. Uma ideia é reunir aqueles queridos que apreciam uma boa cerveja e desfrutar dos momentos com muita criatividade e de sorriso no rosto.

Aprecie a cerveja. Aprecie o momento. Harmoniza agora!

Larissa Dantas

- por em Cerveja, Dicas, Sem categoria 0

Você sabe o que é IBU?

Você deve ficar se perguntando sobre algumas siglas que aparecem em artigos ou características de algumas cervejas. Uma delas é o IBU. Você sabe o que significa essa sigla?

Não é apenas no percentual de álccol (ABV – Alcohol by volume) que se “mede” a força de uma cerveja. Existem outras técnicas para traçar um raio-x de uma boa cerveja. Entre elas o índice de amargor. Em inglês, essa escala é chamada de IBU (International Biterness Unit). Quanto maior a IBU, mais a cerveja é amarga. Ou mais lupulada, já que o principal responsável pelo amargor de uma cerveja é o lúpulo.

A IBU de uma cerveja é determinada por um cálculo específico feito no momento da sua fabricação, e as cervejarias quase nunca informam esse índice em seus rótulos.

Uma receita que sempre será referência na quantidade de IBU é a IPA – Indian Pale Ale, que tem como característica principal o amargor por ser muito lupulada. Alguns dizem que a paixão pela cerveja vem daí, do Lúpulo. E a sua?

#Cheers

- por em Sem categoria 0

Você sabe o que é uma IPA?

Você já deve ter ouvido de algum apaixonado por cerveja a palavra IPA. Com certeza é a receita mais adorada entre os amantes do líquido dourado, mas você sabe o que significa?

IPA é a sigla de India Pale Ale, Esta cerveja tipo ale foi criada pelos ingleses durante a colonização da Índia. Para resistir a travessia do oceano até o continente asiático, uma viagem que durava meses, esta cerveja de cor âmbar recebeu uma dose extra de lúpulo, o aromatizante natural das cervejas, e que possui atividade antibiótica. Além da alta  lupulagem, a cerveja também era mais alcoolica que as Pale Ale que eram consumidas na época e, portanto, conferiam maior durabilidade a cerveja. Como resultado se originou uma cerveja encorpada e com aroma de lúpulo bastante definido e fresco. Apaixonante!

E aí? já pode sair por ai esbanjando conhecimento. Pede uma IPA pra refrescar!

#HarmonizeAgora

- por em Cerveja, Dicas, Mestre Cervejeiro 0

Desde Os Primórdios Até Hoje Em Dia

Assorted Beers in a Flight Ready for Tasting; Shutterstock ID 259774457

A Cerveja e suas variadas receitas

Uma introdução ao mundo das cervejas poderia começar de qualquer ponto da história humana, a história e a arqueologia mostram que a cerveja acompanhou o surgimento das civilizações.

A cevada estava presente no surgimento da agricultura como um dos primeiros cereais cultivados para alimentação humana, a agricultura de forma geral representou uma grande mudança no comportamento humano, paramos de ser nomades e passamos a  fincar raizes em um lugar, só então a concepção de uma cultura humana pôde ser desenvolvida.

A cerveja de cevada, nesse contexto, provavelmente foi a primeira bebida desenvolvida por nós humanos. E certamente está muito ligada a prática humana de estar junto, de reunir os próximos, de confraternizar e harmonizar interações. A cerveja ,de certa forma, é um símbolo da comunhão desde o início da história humana.

De lá pra cá é muita história pra contar de bico seco, dos sumérios aos brasileiros, dos  monges aos cientistas, da mesopotamia a alemanha, das Ales às Lagers, as práticas que envolvem o desenvolvimento e consumo das cervejas, apresentam uma diversidade fantástica e é dessa diversidade que convidamos você para apreciar.

As diferenças regionais, das diferentes receitas, das formas de consumir e de harmonizar tanto o paladar quanto as próprias interações que a cerveja propicia. Convidamos você a experimentar e apreciar da cultura cervejeira no nosso clube.

Todo mês aqui no blog contaremos um pouco das histórias da cultura cervejeira, bem como falaremos de exemplares, escolhidos a dedos, dos produtos dessa cultura.

Beerhunter Clube To Beer