Clube To Beer

Month: novembro 2016

- por em Dicas, Mestre Cervejeiro, Pablo Santiago 0

Prosperidade e harmonia!

Por Pablo Santiago

Carne assada, lasanha e bacalhau, feijoada, fígado e salmão, bife grelhado, rabada e ostras. Antes que surja algum comentário sobre o blog ser de cerveja, tenho que dizer que chegaremos lá, só que não antes de mencionar risoto, codorna e camarão, ou até mesmo guacamole, sopa e pizza, e quem sabe, nozes, hambúrguer e salada de beterraba? Todos esses pratos são apenas algumas das muitas iguarias que podem harmonizar com uma boa cerveja.

Mudando um pouco o rumo da prosa, mas nem tanto assim, todos já tivemos algumas experiências a sós, como novas descobertas e sensações que só nos poderia ter acontecido daquela maneira. Sabemos que muitas vezes é melhor ficar assim, à toa, aproveitando a sua própria companhia e se conhecendo cada vez mais. Até que chega um momento, uma pessoa, um amigo ou um amor que nos faz perceber a importância de se ter alguém do lado, alguém que te faça sentir especial e o complete. Com a cerveja não é diferente, é aí que entra a tão falada harmonização.

Cada tipo de cerveja tem sua característica singular, se diferenciando das demais. O que não é muito diferente quando se trata de harmonizar. Cada uma delas tem sua forma de se comportar diante das mais diferentes iguarias que podem ser encontradas em todo o mundo. Entrando um pouco mais no assunto, existem três tipos simples de harmonização, que são por corte, contraste e semelhança. O que as diferencia são as sensações que provocam no paladar das pessoas.

Bom, como o nome já diz, a harmonização por corte se trata de uma limpeza no paladar, resultado de uma bebida mais amarga e ácida que causou a quebra de uma possível sensação gordurosa na boca. Por sua vez, a harmonização por contraste pode ser caracterizada como um choque entre sabores, tanto da bebida, quanto do prato, e que acabam se evidenciando. Já a harmonização por semelhança é quando os sabores de bebida e prato se misturam e relacionam como um só.

Harmonia: O equilíbrio ou combinação entre elementos que ocasiona uma sensação agradável ou aprazível. Isso é algo bastante comum no mundo dos cervejeiros, que costumam saborear o que a bebida tem de melhor, desfrutando de um bom acompanhamento. Sabendo que estamos chegando no último mês do ano, vai uma dica para acompanhar as suas festividades, que são as trapistas de leve amargor e paladar frutado. E o mais importante, que todos celebrem com alegria, amor e fé.

Prosperidade e harmonia!

#Cheers #HarmonizeAgora

- por em Cerveja, Crônicas, Dicas, Pablo Santiago 0

Mais uma beer, please!

por Pablo Santiago

Bem refrescante, de amargor intenso e aroma marcante, alguns logo pensariam que estou me referindo à uma boa IPA, e de certa forma, não estariam errados. Com sua coloração variante pelo âmbar e receita baseada no lúpulo, mais uma vez terei que dizer que não estou citando a IPA, essa bebida é bastante consumida nos bares de todo o mundo, principalmente nos Estados Unidos da América. Ah, após essa última dica ficou um pouco mais fácil de perceber que se trata da American Pale Ale, uma cerveja que entre outras características, carrega consigo uma explosão de aromas em tons mais cítricos e florais. Outro aspecto dessa bebida ocorre devido aos mais diferentes tipos de maltes utilizados em sua composição, que resultam em um dulçor próprio, e que podem trazer um toque caramelizado em seu sabor, contrastando com o seco que sua antecessora deixava na boca.

Não é muito difícil perceber que a relação entre os dois tipos de cerveja não fica apenas na coincidência, e partem para história. A partir das tentativas de cervejeiros estadunidenses de descobrir novos caminhos e alternativas para agradar ao gosto local, surgiu a ideia estudar e compreender receitas de sucesso, que se tornaram referências mundiais. Buscando adapta-las à sua realidade, surge baseada na receita inglesa da India Pale Ale, uma bebida que se tornaria um marco histórico no que se trata de renascimento das cervejas, a APA. Trazendo traços similares aos seus percursores britânicos e ao mesmo tempo sua identidade própria, esta maravilha em forma de bebida logo caiu não só no gosto dos americanos, como no dos mais distintos povos, que queriam experimentar essa “beer”.

A descoberta dessa saborosa bebida chegou ao sucesso de tal maneira que se encaixou de um jeito magistral com as peculiaridades das mais diversas iguarias espalhadas pelo mundo, inclusive as brasileiras. Sabendo que se trata de uma cerveja harmoniosa, e que tem o poder de despertar sensações, casando com distintos tipos de pratos e petiscos, surge a única dúvida. Qual será o seu acompanhamento?

#Cheers #HarmonizeAgora

- por em Cerveja, Dicas, Pablo Santiago 0

Inspiração, dedicação e lúpulo!

por Pablo Santiago

Que o cuidado e o carinho são necessários na essência de um produto de sucesso, todos já estão cansados de saber, e com a cerveja não seria diferente. As receitas padrões e robotizadas tem tido cada vez menos espaço no mercado e gosto dos clientes, o que tem sido ótimo para quem ama degustar esta iguaria. Muito disso se deve aos mais diversificados tipos de cerveja que podem ser encontrados mundo a fora. O público, que tem sido bastante criterioso em suas escolhas, vem sendo conquistado pelos mais diferentes sabores e sensações que uma boa cerveja pode proporcionar.

Entrando um pouco mais no assunto, e falando de uma receita bem conhecida em todo o mundo, mais precisamente, conhecendo a IPA. Esse estilo, que é bastante estimado pelos seus consumidores, tem origem britânica, surgindo numa época de forte comércio entre a Inglaterra e a Índia, que nesse determinado momento da história era uma colônia da terra da rainha, vindo daí o seu nome, India Pale Ale. Com ingleses morando na terra do Taj Mahal, era muito comum que o seu país de origem mandasse produtos para atender as suas necessidades, como exemplo, porcelanatos, fumo e tecidos, além é claro da cerveja.

Abrindo um parágrafo para falar desse último produto, é importante dizer que o surgimento da IPA veio de uma percepção que se tornou referência quando se trata de cuidado e sensibilidade. Com essa relação intensa entre metrópole e colônia, muitas embarcações navegavam entre os países. E por conta das viagens, que chegavam a durar por volta de seis meses, muitas vezes a cerveja chegava ao destino em estado impróprio para consumo, estragada. Eis que então tiveram a ideia de fazer uma cerveja mais concentrada, com bastante lúpulo, assim podendo ser conservada por mais tempo, o que agradou bastante os ingleses, que poderiam saborear uma “beer”.

Além de sua alta taxa de lúpulo, a nova receita possuía um teor alcoólico mais elevado do que as Pale Ale consumidas na época, resultando em um forte sabor, assim como num amargor intenso. Apesar de ter despertado um desconforto em alguns, todos sabemos o desfecho dessa maravilha, que acabou se tornando um sucesso mundial. Uma forte característica da IPA é o seu aroma  que geralmente é de natureza floral, terroso ou frutado, acompanhando o equilíbrio de uma bebida refrescante e bem macia, com um toque final de secura.

Experimente uma IPA!

#Cheers

- por em Cerveja, Pablo Santiago 0

Uma gelada, por favor!

Por Pablo Santiago

“Uma gelada, por favor”. É onde tudo começa… Descoberta há milhares de anos, a cerveja se tornou uma especiaria bastante desejada e uma agradável companhia para todos os momentos. Por se tratar de uma bebida saborosa e de valor significativo, a cerva ou até mesmo uma boa breja, como também costuma ser chamada, é apreciada em todo canto. Originária das primeiras sociedades já existentes, ela caiu no gosto dos mais diferentes povos e culturas, o que não é diferente nos dias atuais. Em cada pedacinho do mundo, os seus admiradores têm o seu jeito único e peculiar de contemplar essa maravilha. “Ah, garçom, desce mais uma”. Ou seria melhor dizer “Ein Bier, bitte”?

É quase impossível não lembrar da Alemanha, não por aquele placar famoso, “bate na madeira”. Mas pela sua relação com esta bebida maravilhosa. Além de serem um povo bastante desenvolvido, e de possuírem belas paisagens e uma gastronomia fantástica, os alemães também são reconhecidos por serem o país da cerveja. Ficando atrás apenas de Austríacos e Tchecos, os terceiros maiores consumidores da “bier” desfrutam de uma enorme variedade dessa iguaria. Dentre todas em essas oportunidades, mais precisamente em Düsseldorf está concentrado o maior balcão de cervejas do mundo, onde se é bastante comum tomar uma Altbier, ou se preferir a região da Baviera, pedir uma Wessbier irá te mostrar o que é fazer uma boa escolha. Mesmo com um grande leque de possíveis escolhas, surge uma curiosidade, que é a semelhança entre brasileiros e alemães quando se trata da preferência, a Pilsen é o tipo de cerveja mais consumida em ambos países.

Saindo um pouco do plural e entrando no singular, os gostos, manias, humores e sensações de cada pessoa contam bastante em suas decisões. Tem gente que prefere uma pegada mais forte e bem encorpada, como uma Malt Liquor. Outros ficam com a suavidade e refrescância de uma American Lager. Seja para celebrar, comemorar ou relaxar, seja qual for a ocasião uma cerveja sempre será uma boa pedida. Sabendo disso, a essência e o carinho em cada passo tem sido imprescindível na produção desse produto tão querido, desde a seleção de suas matérias prima, buscando atrair os seus adeptos através de diferentes texturas, cores e sabores. E de “saideira”, qual a sua ocasião?

#Cheers