Clube To Beer

Blog

LIGTHSTRUCK – nome feio para aroma feio?

Cerveja é uma paixão nacional. Sem dúvidas. Das brigas em mesa de bar antigas entre brahmeiros x skolzeiros eis que surge mais um tipo de torcedor. O fanático pelas Heineken.
Possivelmente a Heineken é a cerveja do dia a dia de 8 a cada 10 bebedores de cervejas especiais. Seja pelo custo benefício ou pela atual facilidade de se encontrar nas gôndolas dos supermercados, a Heineken parece ser, junto às cervejas do estilo Weizenbier e de outras grandes nacionais como a Eisenbahn e Baden Baden, a porta de entrada para os fanáticos torcedores das American Lager em relação a adentrar no mercado de cervejas especiais.
O que muitos torcedores Heinekeiros acreditam é que aquele aroma e o retrogosto (sabor residual que permanece em boca após o gole) da breja é característico dela e, essa sensação, fornece todo o diferencial em relação às cervejas mainstream. Ledo engano.
A verdade é que essa sensação, que aparece apenas nas cervejas de garrafas de vidro claro, é um defeito na cerveja por conta de uma reação química entre a luz que passa pelo vidro mais claro e a subprodutos do lúpulo da própria cerveja. Conhecida no meio cervejeiro como lightstruck, os americanos associam esse aroma a cheiro de gambá, mas para nós brasileiros fica impraticável essa comparação.
Para tirar sua própria conclusão, na próxima vez que for ao mercado aproveite para fazer um teste: compre uma Heineken em lata e outra do famoso casco verde. Gele-as, abra as duas juntas e compare-as para perceber as diferenças de aroma que ambas exalam.
O aroma que aparece na garrafa, que parece deixar uma marca característica registrada na cerveja, um atributo sensorial marcante, na verdade, então, nada mais é do que um defeito que os cervejeiros buscam corrigir de forma simples ao se utilizar os famosos cascos escuros. Esse defeito aparece em qualquer outra cerveja que seja acondicionada numa garrafa que permita passagem de luz.
Porém mercadologicamente falando, qual mestre-cervejeiro convencerá o Diretor de Marketing de que aquela garrafa verde característica não ajuda, pelo contrário, prejudica, o desenvolvimento da cerveja?
Fato é que a Heineken é uma boa American Lager, muito à frente das mainstream nacionais, mas que peca na garrafa.
Agora tenta convencer o torcedor de mesa de bar disso…

Beba menos, beba melhor, beba no estilo.

Larissa Dantas é Sommelier de Cervejas e Mestre em Estilos pelo Instituto de Cervejas Brasil

Post navigation

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *